Diatomitos de Amieira

Localização: Amieira (Freguesia do Castelo)

Classificação: Inexistente

Estatuto de Proteção: Rede Natura 2000

Interesse: Interesse científico: elevado | Interesse didáctico: elevado Interesse cultural: elevado

Vulnerabilidade: Fenómenos naturais: altaAcção Humana: alta

Trata-se de uma antiga exploração de diatomito constituída pelo jazigo mineral e respectiva unidade de transformação. O jazigo de diatomito, de idade plio-plistocénica (± 2 M.a.), é um depósito estratificado de pequena dimensão, apresentando leitos arenosos intercalados. No conjunto o depósito explorado não excede os 3 metros de espessura e corresponde à única concessão de exploração de diatomitos da Península de Setúbal que efectivamente lavrou, e produziu (até 1984).

A transformação do material consistia numa moagem, separação granulométrica e embalagem de pó de diatomito de diferentes granulometrias, com aplicação predominantemente na construção civil. O jazigo mineral e o edifício correspondente à unidade de transformação distam cerca de 100 metros.

Os diatomitos são diatomáceas fossilizadas (organismos unicelulares que vivem normalmente em ambientes aquáticos), e constituem um dos componentes da dinamite.

 Acesso condicionado: Localizados em propriedade privada, apenas são visitáveis no âmbito dos projetos da programação do Museu Municipal de Sesimbra

Estado de Conservação: Ruína.