Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Maçã Camoesa

Apanhada em setembro ainda verde, a Maçã Camoesa era colocada em cima dos armários para perfumar as casas, ficando a amadurecer até ao Natal.

Por este motivo, havia quem as conhecesse como Maçãs de Inverno. Hoje em dia, a tradição quase se perdeu, e com ela, o cultivo desta variedade típica da Azoia. Com o objetivo de preservar este fruto e estimular a produção, a Câmara Municipal apresentou uma candidatura para a sua certificação, que recebeu parecer favorável do Instituto Nacional da Propriedade Industrial, em 2012.

A par desta iniciativa, criou-se o certame Mostra da Maçã Camoesa, com o objetivo escoar a produção, que aumentou de forma significativa no concelho.
E se para alguns o nome ainda soa familiar, para a maioria, a sua existência é desconhecida.

O que poucos sabem é que esta maçã tem propriedades únicas quando comparada com outras variedades. A afirmação tem por base um estudo realizado pelo professor Agostinho de Carvalho, da Universidade Egas Moniz, do Monte da Caparica, que decidiu comparar a Camoesa da Azoia com as maçãs Starking, Fuji e Golden, concluindo que os seus níveis de antioxidantes e polifenóis são muito superiores aos das restantes.

Para além do aroma e sabor únicos, a Camoesa é reconhecida pelas caraterísticas anti-cancerígenas.

Devido às qualidades apresentadas é recomendada a doentes anémicos e diabéticos. Estas propriedades devem-se ao microclima particular da zona do Cabo Espichel e aos terrenos argilosos, ricos em ferro.

Apresenta uma coloração manchada de vermelho na face de maior incidência do sol, sobre um fundo amarelo. A polpa distingue-se pelo sabor característico, ácida, de cor branca e consistência muito firme.

Município de Sesimbra © 2015 | Todos os direitos reservados