Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Leishmaniose

Proteja o seu cão da Leishmaniose

A Leishmaniose canina é uma doença de evolução crónica que, sem tratamento, pode levar à morte do cão. É transmissível ao Homem e pode constituir um risco para a saúde pública.

Nos últimos anos, com o aumento das temperaturas e as alterações do clima, cada vez mais quente e seco, regista-se um agravamento da Leishmaniose canina.

A doença, que afeta mais de cem mil cães em Portugal, é causada pelo parasita Leishmania e transmitida por um inseto denominado de flebótomo.

De evolução crónica e dolorosa, os sintomas incluem febre, diarreia, queda do pelo (em especial à volta dos olhos, nariz e orelhas), perda de peso, lesões cutâneas e problemas nas unhas. No concelho de Sesimbra, a infeção, conhecida como "doença do mosquito da Arrábida", tem apresentado um elevado número de casos.

A situação acontece porque para além de existirem dezenas de cães errantes, muitos munícipes, devido à situação socioeconómica, não fazem a devida prevenção do seu animal. Essa falta de cuidados por parte dos donos tem levado a autarquia a realizar, todos os anos, um conjunto de ações de sensibilização junto da população, para informar e aconselhar os cidadãos para a gravidade desta doença e, principalmente, para a importância da vacinação.

É um trabalho que faz parte do serviço do gabinete veterinário, e a autarquia é um dos principais intervenientes na prevenção da saúde pública.

A resposta imunitária do cão é diferente da do Homem. No ser humano a infeção é tratável. Já nos cães os tratamentos permitem apenas controlar os sintomas mas não curam a doença.

O programa de vacinação consiste na administração de três injeções após os seis meses de idade do cão, e uma revacinação anual, que permite uma redução segura, eficaz e duradora do risco do animal desenvolver Leishmaniose.

A vacina está disponível nos centros médico-veterinários e segundo estudos recentes é a forma mais eficaz de prevenir e combater esta doença.

Perguntas frequentes:
  • O que devo fazer se achar que o meu cão tem Leishmaniose?

    Deve levá-lo ao Gabinete Médico-veterinário Municipal ou a um centro veterinário o mais cedo possível para que o animal possa ser examinado. Através de exames complementares de diagnóstico o veterinário poderá confirmar a presença ou ausência da doença.

  • O tratamento pode curar o cão?

    O tratamento não permite uma cura completa. Geralmente é possível a remissão dos sinais clínicos, no entanto, o animal pode ficar portador do parasita e passados meses ou anos vir a ter de novo sinais da doença. Quanto mais cedo for diagnosticada a doença e iniciada a terapêutica mais fácil e de menor duração será o tratamento. Daí, o diagnóstico precoce ser de extrema importância.

  • Onde posso vacinar o meu cão?

    Em qualquer centro médico-veterinário, devidamente credenciado.

  • Qual é o período de incubação da doença?

    O período de incubação é muito variável, podendo ser de poucos meses ou de anos. Alguns cães são mais resistentes e, embora possam sofrer picadas de insetos infetados, podem nunca mostrar sinais de doença, desde que se mantenham corretamente alimentados.

  • Quanto custa a vacina?

    O programa completo de vacinação inclui três injeções a 45 euros cada. Antes da administração da 1ª dose é necessário ainda fazer o despiste da doença, que implica uma análise no valor de 30 euros.

Município de Sesimbra © 2015 | Todos os direitos reservados