Rua Capitão Leitão

António Amaral Leitão
(1845-1903)
Capitão de Infantaria e Militante Republicano

António Amaral Leitão, capitão de infantaria, destaca-se pela sua participação ativa na revolta de 31 de janeiro de 1891, no Porto. Nasceu a 7 de março de 1845, em Farminhão, Viseu.

No momento “quente” da revolta, foi um elemento preponderante na ação, tomando a dianteira ao comando dos revoltosos, na sua qualidade de chefe militar.

Findos os acontecimentos tumultuosos que pusera em evidência, e consciente que tinha perdido esta causa, preparou uma engenhosa fuga, conseguindo iludir todos aqueles que se mantinham em vigilância. No entanto, em fuga, encontrou-se casualmente com um padre que o conheceria bem, e este acabaria por denunciá-lo às autoridades locais.

Efetuada a detenção, é julgado pelo Conselho de Guerra e enviado para Angola. Depois de ter passado por Paris, e posteriormente pelo Brasil, regressa a Portugal em 1901 e acaba por morrer em 1903.

A rua Capitão Leitão recebeu esta designação após a Revolução Republicana de 1910, em substituição do seu tradicional nome de Rua da Galé, pelo qual continua a ser conhecida, dado que a nova designação nunca foi assumida pelo povo sesimbrense, que ainda hoje se mantém fiel ao nome tradicional.

Topo este
2015 - Topo este

Fonte:

Arquivo de Toponímia.

Histórico do topónimo:
Rua Capitão Leitão [?-hoje]
Rua da Galé [?-?]
Deliberação:
17.12.1987
(em pesquisa)
Concelho:
Sesimbra
Freguesia:
Santiago
Localidade:
Sesimbra
Numeração de polícia:
1 - 33
Extremos:
Início: Largo da Marinha
[38°26’35,602”N 9°6’8,989”W ]
Fim: Rua Dr. Peixoto Correia
[38°26’36,141”N 9°6’11,324”W ]
Extensão:
74 m
Tipo de Pavimento:
Calçada
Transitável:
Não
Documentação:
Deliberação de Câmara (Proposta 17.12.1987; Ata da C. M. T. 30.10.1987)
Mapa:
Ver todas as ruas do concelho